Aeróbico em jejum queima mais?

Todo mundo já ouviu falar, e vamos sucintamente explicar como e o porquê dessa técnica.

Quando fazemos algum exercício, queimamos calorias. Isso é lógico. Entretanto, nosso corpo dispõe de diferentes fontes energéticas para a realização de diferentes exercícios. Basicamente, exercícios de alta intensidade (sprints, musculação por ex.) requerem mais energia na forma de glicogénio e atp-cp, pois estas são fontes de energia imediata que suprem o organismo quando algum esforço mais intenso é realizado. Já os exercícios de baixa intensidade (caminhada por ex.) não necessitam dessas fontes rápidas de energia, fazendo o corpo utilizar gordura como combustível para a realização da atividade.

É claro que isso são tendências e não devemos pensar que o corpo utiliza só glicogénio ou só gordura como fonte de energia. Há uma série de variáveis que influenciam essas situações. No caso do aeróbico em jejum, a intensidade do exercício e a disponibilidade das fontes de energia são manipuladas de forma a obtermos maior queima de gordura.

A grosso modo funciona assim: se um indivíduo faz 20 a 30 minutos de aeróbico leve , gasta X calorias. Estas calorias tem que vir de algum lugar, certo? Se esse indivíduo se alimentou antes de fazer o exercício, provavelmente irá consumir essa refeição que estará disponível na forma de glicogênio. Porém, se ele permaneceu em jejum por mais de 6 horas, durante o mesmo exercício (aeróbico leve) a principal fonte energética será a gordura.

Portanto, uma caminhada ou um trote muito leve de manhã, em jejum, é uma formidável técnica para aumentar a queima de gordura corporal.

Infelizmente muitas pessoas não compreendem bem a técnica e acabam correndo mesmo. Esse aumento da intensidade do exercício (medida pela frequência cardíaca) faz com que o corpo necessite de mais energia em menos tempo. Nesse caso (em jejum) devido à falta de glicogénio disponível no sangue, o corpo deixa a gordura de lado e vai buscar glicogénio nos músculos, destruindo-os.

É fundamental que, assim como todo o tipo de exercício, essa técnica seja aplicada gradualmente. Começar fazendo 10 ou 15 minutos de caminhada e ir aumentando gradualmente, mas não exceder 30 minutos. O aumento abusivo do tempo fará o corpo reduzir a queima de gordura e colocar outra fonte de energia no lugar. Um outro segredo para otimizar a técnica, revelado pelo grande mestre Waldemar Guimarães é: após o término do exercício tomar banho e se arrumar para o trabalho e só depois fazer uma refeição. Dessa maneira o corpo continuará queimando durante mais alguns minutos sem o risco da mudança de fonte energética.

A mais importante regra a ser observada é: Exercício em jejum causa hipoglicemia, que pode causar desmaio, coma e até a morte. Deve-se sempre ter à mão uma fonte de açúcar (chocolate, barras energéticas por ex.) para prevenir a hipoglicemia. Isso vale para todos os indivíduos com qualquer nível de experiência, pois, somos humanos e nem sempre acordamos bem dispostos e cheios de energia. Fatores como alimentação do dia anterior, stress, repouso, exercícios, hidratação entre muitos outros podem influenciar nossa disposição. Sempre carregar junto uma fonte rápida de açúcar e manter o treino leve e curto é essencial para a efetividade e segurança dessa técnica.

Antes que alguma pessoa ache que essa é uma fórmula mágica para emagrecer devo dizer já que não é e que isso não existe. Por mais que a ciência nos presenteie com drogas incríveis, assim que a pessoa para de tomar o remédio os efeitos param também. A técnica descrita acima é um interessante complemento para pessoas que levam os exercícios e a dieta a sério. Não há magia para perder banha, o que existe é uma combinação de fatores que se completam. O mais importante deles sem dúvida é a dieta.

About these ads

Sobre Leandro Osti
Licenciado em Educação Física pela UEL Mestre em Gestão do Desporto pela Faculdade de Motricidade Humana de Lisboa (FMH/UTL) Atua nas áreas de consultoria de gestão e marketing para academias, treinamento de professores para academias, treinamento personalizado e blogueiro Contato: acido.latico@yahoo.com

4 Responses to Aeróbico em jejum queima mais?

  1. Anônimo disse:

    Adorei, o melhor texto explicativo sobre o assunto que a li.

    Elaine

  2. Luan Oliveira disse:

    Olá boa tarde,

    Sei que este artigo é “antigo”, porém gostaria de saber a freqüência cardíaca que deve ser adotada ao longo da atividade, 65 a 75% max ou mais baixa do que isso?

    Abraço

  3. Anônimo disse:

    Ótimo texto! Explicação clara e posicionamento equilibrado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 987 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: