Excesso de proteína não faz mal aos rins

O site Folha.com publica que:

Qualquer um que já realizou uma dieta com alto teor de proteínas provavelmente ouviu este aviso: você pode perder peso, mas se arriscará a ter problemas nos rins. A ideia é que processar grandes quantidades de proteínas sobrecarrega os rins, que filtram o sangue e removem resíduos. Porém, há poucas pesquisas sustentando essa afirmativa.

Num estudo publicado em “The International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism”, pesquisadores recrutaram fisiculturistas e outros atletas e examinaram sua função renal durante sete dias enquanto eles seguiam dietas de alto e médio teor de proteínas. Pelos resultados, todos os indicadores da função renal permaneceram dentro do intervalo normal entre os atletas que consumiram grandes quantidades de proteína.

Num estudo muito maior, publicado em “The Annals of Internal Medicine”, pesquisadores examinaram o consumo de proteínas em 1.624 mulheres num período de 11 anos. Eles descobriram que as dietas de proteínas não causavam problemas em mulheres com funções renais normais. Porém, em mulheres com uma “leve insuficiência renal”, o consumo exagerado de proteínas acelerava o enfraquecimento dos rins. Pesquisadores da Universidade de Connecticut chegaram a uma conclusão similar quando revisaram anos de pesquisas sobre o assunto, num relatório de 2005 publicado na revista “Nutrition & Metabolism”.

Para quem está pensando em iniciar uma dieta assim, exames físicos e de função renal podem revelar quaisquer problemas ocultos. Conclusão: estudos mostram que, em adultos saudáveis, o consumo elevado de proteínas não coloca um excesso de pressão sobre os rins.

do editor: Essa é uma verdade que já se sabia há muito tempo no mundo da musculação. Muitos nutricionistas não recomendam  a que a ingestão ultrapasse as 1,8 gramas de proteína por kilo de peso corporal, justificando que doses maiores seriam acumuladas na forma de indesejável gordura corporal e sobrecarregariam os rins. Como podemos ler na matéria da Folha, isso não é verdade. Fisiculturistas tem usado ao longo de muitos anos doses bem maiores que essa, chegando a 5 gramas de proteína por kilo e (às vezes mais que isso) e estão vivinhos da silva, como podemos ver nesse outro post do nosso blog “Os fisiculturistas não morrem”

About these ads

Sobre Leandro Osti
Licenciado em Educação Física pela UEL Mestre em Gestão do Desporto pela Faculdade de Motricidade Humana de Lisboa (FMH/UTL) Atua nas áreas de consultoria de gestão e marketing para academias, treinamento de professores para academias, treinamento personalizado e blogueiro Contato: acido.latico@yahoo.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 981 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: