A ditadura dos números

Não é preciso exagerar..

No mundo fitness somos sempre confrontados com números de diversas formas: É 3×10 pra um lado, 5RM pra outro, 8% de gordura, 50 cm de braço e vários outros.

Nosso corpo não sabe contar. Ou você acha que se fizer uma repetição a mais dos que as 3×10 a sua perna vai cair? Não vai. O corpo responde a estímulos e não a números. Quanto melhor e mais intenso for o estímulo, maior será a resposta do organismo.

Muitas vezes nos prendemos muito a esses números em relação ao nosso corpo. Vejo muitos sonhando com determinados percentuais de gordura ou centímetros de braço e coxa. Muita gente quando chega nesse milagroso número ideal não se satisfaz, procurando novos números para correr atrás (até rimou)!

Não existe nada de errado em desejar se enquadrar em determinados percentuais ou medidas. O problema é quando essa obsessão impede a pessoa de aproveitar os resultados conquistados no caminho até o número desejado.

Antes de tudo, a pessoa deve se gostar e saber apreciar  o resultado do seu esforço. E o espelho pode ser o melhor amigo nessa jornada. Reproduzo abaixo um trecho de um artigo publicado pelo prof. Waldemar Guimarães sobre esse tema. Você pode ler o artigo na íntegra clicando aqui

“Certa vez perguntaram a Larissa Reis em um aeroporto não o seu peso, mas “ qual era o seu percentual de gordura”, ela não tinha a resposta o que muito decepcionou a interloctura, já que a atleta sabia da irrelevância do dado em um esporte em que é campeã internacional.  Recentemente recebi um comentário pelo meu site de uma pessoa totalmente revoltada, chegando até a ameaças heróicas que obviamente só concluiria em seu mundo de ilusões numéricas;  porque ao me perguntar em um curso qual era o meu peso eu respondi que eram 20 ou 30 quilogramas? O mesmo tomou isso como uma grande ofensa em sua mente cartesiana.

Na realidade a minha intenção, é fazer as pessoas pensarem que não importa o peso corporal nem quantos centímetros de braço se tenha ou o diâmetro da cintura, mas sim como a pessoa se sente. Chega de ditadura numérica!

Mesmo em competição das modalidades do bodybuilding, não se vence porque se tem um por cento a menos de gordura ou 3 centímetros a mais de braço, mas sim porque na avaliação subjetiva o pacote é melhor.

Intuir e se sentir bem é o que importa. Logicamente números são necessários nas práticas controlada das ciências e em economia, mas não se deixem reger por números, mesmo porque, nem que sua conta seja para somar dinheiro, lembre-se que caixão não tem gavetas.”

Fuck numbers

Waldemar Guimarães

Sobre Leandro Osti
Licenciado em Educação Física pela UEL Mestre em Gestão do Desporto pela Faculdade de Motricidade Humana de Lisboa (FMH/UTL) Atua nas áreas de consultoria de gestão e marketing para academias, treinamento de professores para academias, treinamento personalizado e blogueiro Contato: acido.latico@yahoo.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: